terça-feira, 22 de Abril de 2014

VERSUS TUNA: Temos andado ocupados..


       A grande dificuldade do blogger de uma tuna passa pelo tempo - ou melhor, pela falta dele. No meio de (des)organizar e (des)montar o final de um festival (sim, porque o trabalho só termina dias depois do grande espectáculo) só agora houve tempo para aqui vir contar o que é que, afinal, a VERSUS TUNA  - Tuna Académica da Universidade do Algarve andou a orquestrar.

        O  XVI FARTUNA - Festival de Tunas Académicas da Cidade de Faro terminou no seu melhor, como todos os nossos ávidos seguidores já sabem. Foi com algum peso tirado de cima dos nossos ombros depois de um trabalho bem cumprido que voltámos aos nossos ensaios e às actuações, porque sim, aqui pelos Algarves há sempre alguém para quem, ou com quem, tocar.

       No dia 12 de Abril viajámos até Moncarapacho para o I Encontro de Tunas Académicas de Moncarapacho. Foi num ambiente quente e acolhedor, como apenas o interior algarvio proporciona, que partilhámos o palco com as nossas vizinhas do R/c Direito, a FEMINIS FERVENTIS - Tuna Académica Feminina da Universidade do Algarve, e com os vizinhos louletanos da capa bordô, a TUALLE - Tuna Universitária Afonsina de Loulé.

         Diz quem esteve  na plateia que foi uma noite a recordar para o povo desta vila algarvia e que as tunas académicas e a música e cultura estudantil conquistaram mais uma casa. À Casa do Povo de Moncarapacho e à organização fica aqui expresso o nosso muito obrigado por nos proporcionarem este palco e noite, e ainda por nos deixarem demonstrar aquilo que melhor fazemos a um novo público.

         Incansáveis, e já a entrar pelas férias, fomos no dia 13 de Abril até ao hotel Crowne Plaza em Vilamoura fazer as delícias de mais um público estrangeiro, começando assim a época das actuações turísticas - se é que estas terminam, afinal, moramos no Algarve.

          Caso o leitor esteja a pensar - estes rapazes é que me davam jeito; não hesite em contactar-nos, temos aparentemente caloiros poliglotas que vão do inglês básico ao mandarim avançado (ou que pelo menos têm bastante imaginação). É claro que, fora de brincadeiras, estamos sempre dispostos a levar lá para fora cá dentro a boa música e cultura estudantil portuguesa. Afinal, quem é que não gosta de tunas, ainda para mais de nós?

           E foi no dia 21 de Abril que nos antecipamos à comemoração dos quarenta anos da revolução dos cravos para dar voz à liberdade e ao ser estudante no evento "Dar Voz aos 40 Anos do 25 de Abril" no mui antigo Clube Farense.

A VERSUS TUNA - Tuna Académica da Universidade do Algarve encaminhou os farense até ao Clube Farense para o evento "Dar Voz aos 40 Anos do 25 de Abril".

         É claro uma honra para nós pisar as polidas pedras desta casa de renome da nossa cidade, ainda para mais cantar aquele que é o nosso mais precioso bem, a liberdade, que tanto nos permite ser estudantes e sobretudo, tunantes.

         Ao Club Farense, à Universidade do Algarve,  às gentes que passaram para nos ver e às nossas colegas do curso de licenciatura em Educação Social o nosso muito obrigado. Esperemos poder tocar para vós mais vezes, brevemente.

          E foi assim que se passaram estas duas folgadas semanas de pós-FARTUNA e de Páscoa. Com a XXIX Semana Académica do Algarve ai à porta vão ser muitas as novidades e surpresas da parte da VERSUS TUNA - Tuna Académica da Universidade do Algarve.

         Estejam atentos, o azul algarvio está por ai!

terça-feira, 15 de Abril de 2014

VERSUS TUNA: Recordando o XVI FARTUNA - Festival de Tunas Académicas da Cidade de Faro

 
O XVI FARTUNA - Festival de Tunas Académicas da Cidade de Faro decoreu nos dias 4 e 5 de Abril.

O XVI FARTUNA - Festival de Tunas Académicas da Cidade de Faro terminou há já mais de uma semana mas, como não poderia deixar de ser, aqui fica o relato bloguista de mais uma edição do nosso festival, narrada, ainda por cima, pelo nosso novo aspirante a blogger.

Foi da melhor maneira que a Versus Tuna - Tuna Académica da Universidade do Algarve entrou dentro deste mês, mostrando para o mundo, pela décima sexta vez consecutiva, o melhor que a arte nos deixa, com o nosso festival FARTUNA. Foi nos dias 4 e 5 de Abril, que com capa ao ombro e muita alegria, nos juntámos à TAIPCA - Tuna Académica do Instituto Politécnico do Cávado e Ave, TAFDUP - Tuna Académica da Faculdade de Direito da Universidade do Porto, Afonsina - Tuna de Engenharia da Universidade do Minho, TAL - Tuna Académica de Lisboa, e a extra-concurso a TUALLE - Tuna Universitária Afonsina de Loulé e Feminis Ferventis - Tuna Académica Feminina da Universidade do Algarve, para uma vez mais deslumbrar a nossa cidade e arredores com o nosso festival. 

Com muita felicidade e donzelas por encantar, o XVI Fartuna iniciou-se com a noite de Serenatas, no Largo do Carmo. Com as suas doces melodias, as tunas presentes conseguiram tanto chamar como maravilhar os que passavam, partilhando com os de fora o espírito da tuna. 

Antes da noite ser dada por terminada, um bravo caloiro, enfrentando tremendo desafio, a qual poderia ser escrito grande epopeia, ganhou a grande honra de se poder chamar tuno. Demos os nossos parabéns ao Pedro "DF" Vitorino! Uma vez tuno, sempre tuno!

No dia seguinte, ainda com toda a sua garra que lhes é conhecida, as tunas começaram o dia com o Porto D'honra, onde ouviram as palavras do presidente da câmara, do reitor da Universidade do Algarve, e do Magister Tunae da nossa tuna, os quais desejaram as suas boas vindas e uma célebre estadia. Após este momento mais solene, e de ser servido o almoço, seguiu-se o Pasacalles pelas ruas de Faro, onde as tunas caminharam pela cidade com a companhia das suas músicas, animando os que lá passavam a sua tarde. Finalmente, aproximava-se o evento já tanto esperado, com um alto desejo existente em todos os participantes. 

No Teatro das Figuras, em Faro, começou o espetáculo mais importante, com os PerVersus, ilustres humoristas da nossa tuna, a apresentar as tunas que iriam tocar neste amplo local, concorrendo a concurso para diversos prémios. Sempre com um sorriso nos lábios e vontade de impressionar, começou o espetáculo. 

Para dar início a esta noitada, a primeira tuna a atuar foi a Feminis Ferventis - Tuna Académica Feminina da Universidade do Algarve que brilharam com "Musiquinha", uma adaptação dos Deolinda, e o seu original "Canto à Cidade". 

Por segundo, seguiu-se a Afonsina - Tuna de Engenharia da Universidade do Minho, que demonstrando a sua criatividade, levaram consigo peças de cenário relacionadas ao faroeste, levando os espetadores para um tempo passado. Uma viagem acompanhada pelos "Ecstasy of Gold" (adaptado de Ennio Moricone) seguido de "Onde Pára o Oeste", "Lenda da Fonte", "É Tão Bom" (adaptação de Sérgio Godinho), "Siga a Marinha" (adaptação de Ala dos Namorados),"Chico Fininho" (adaptação de Rui Veloso), e para terminar, o hino da tuna, "Afonsina", que cantaram com todo o seu clamor.

 A TAIPCA - Tuna Académica do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave atuou após a Afonsina, com o seu afável grupo de tunos e caloiros, deslumbrando com "A Banda", “Origens", as suas adaptações das músicas de Rui Veloso “Brilho Dental” e “Anel de Rubi”, a adaptação da música de Carlos Paião "Eu Não Sou Poeta", e por fim, terminando em grande, com "O Galo é o Dono dos Ovos", a qual representa o grande símbolo de Portugal que é o galo de Barcelos. Deixando a sua marca, a TAIPCA sai do palco e atravessa entre o público, saindo pelas portas das quais estes últimos entraram. 

Depois do intervalo, e mais um humoroso sketch, chegou a hora TAFDUP –Tuna Académica da Faculdade de Direito da Universidade do Porto demonstrar o seu valor, o qual o fizeram e bem. Demonstrando, principalmente, uma deliciosa mestria vinda dos seus porta-estandartes e pandeiretas, as suas vozes e instrumentais não ficaram atrás, trazendo à nossa casa “Te Mando Flores”, “Coisas pequenas” (adaptação dos Madre deus), “Rainha Italiana da Tarântula Morta”, “Homem do Mar Maior” e “Idílio de Amor.” Antes da sua partida, no entanto, o seu fecho foi feito com uma dedicação à tuna da casa, tocando uma adaptação já cá feita, uma magnifica interpretação d”0 Pastor”, música de Madredeus, merecendo assim a TAFDUP os nossos profundos agradecimentos, pelo seu trabalho e dedicação.

A última tuna a concurso foi a TAL – Tuna Académica de Lisboa, que tocaram os temas “Fado das Amendoeiras”, “Perdido em Lisboa”, “Flor sem tempo”, “Adiós Nonino” (adaptação de Astor Piazolla), “Sol de Inverno” e “Marcha do Bairro Alto”. Não só cantando em Português mas também em Espanhol, a TAL  mostrou-se ao nível do desafio, sendo uma forte concorrente, dando música à nossa cidade. 

Terminada a atuação das tunas de concurso, e como não havia de ser, a Versus Tuna – Tuna Académica da Universidade do Algarve subiu a palco, representando com a sua voz e habilidade musical o seu nome. Dando um espetáculo dos quais não se deve perder, a nossa tuna começou a sua atuação com o seu tema original “Tsenera”, seguido do seu instrumental “Variações para Bandolim em Si Menor.” Ainda tocou “Foi Deus” (adaptação de Amália Rodrigues), antes de, com orgulho e alegria, convocou os antigos membros da tuna – ou velha guardas – a subir a palco, para mais uma vez encantar e honrar o passado. Já com os velha guardas em palco, foram tocados os temas originais “Faro e o Estudante” e “Cidade de Cetim”. Com vozes altas e instrumentais bem tocados,  demonstramos às tunas convidadas o nosso espírito e entusiasmo, antes da entrega dos tão ambicionados prémios. 
A actuação no TMF- Teatro das Figuras.

Com cânticos entoados e dedos cruzados, os prémios foram entregues, um por um. Os prémios de Melhor Serenata, Melhor Pasacalles, melhor estandarte e melhor pandeireta foram entregues à TAFDUP, os prémios de melhor instrumental, melhor original e melhor tuna à TAL, os prémios de melhor solista e tuna mais tuna à Afonsina, e o prémio de bigode mais tuna à TAIPCA. Mais tarde, durante o convívio de tunas e após um desafio de grande resistência tunante, a TAIPCA junta um segundo prémio á sua coleção, sendo este o prémio de Tuna mais Marafada. Com os seus prémios entregues e um Fartuna extremamente bem sucedido, a Versus Tuna – Tuna Académica do Algarve fecha o seu 16º festival com o seu hino e com grandes sorrisos. Embora cansativo, o festival correu tal como esperado (ou através melhor!) graças à dedicação dos caloiros e tunos. 

De certeza que para o ano há mais, o XVI Fartuna deixando boas memórias nos corações de todos nós, de certeza que para o ano haverá mais!

Num penúltimo ponto, gostariamos ainda de agradecer a todos aqueles que nos apoiaram. Desde os mais variados patrocinadores, às entidades que nos apoiaram e às pessoas que fizeram deste festival possível.

Queremos agradecer a todas as tunas que nos ajudaram a tornar este festival inesquecível. Desde toda a cerveja bebida, até todo o bordão tocado, fomos nós, todos juntos, que demos cor à capital do Algarve.